AMIGOS DA CURA

TROCA DE INFORMAÇÕES A FAVOR DA VIDA

Incríveis depoimentos da Auto-Hemoterapia



INCRÍVEIS BENEFÍCIOS DA AUTO-HEMOTERAPIA
Genaura Tormin

Um dia de muito trabalho no Tribunal, onde ocupo o cargo de Analista Judiciário!

Aproximava-se o término de prazo para interposição de recursos, por isso muitos advogados se faziam presentes.

Entre eles, uma emergente advogada. Moça simpática, inteligente e bonita. Uma profissional costumeira naquele ambiente. Ao sair deixou-me uma anotação: “Entra no google e pesquisa auto-hemoterapia - trabalho do Dr. Luiz Moura”. Agradeci e guardei a anotação na bolsa.

Hemoterapia, eu sabia que se relacionava a sangue, mas auto-hemoterapia, nunca tinha ouvido falar. Instalou-se em mim uma curiosidade. Fiz a pesquisa e fiquei encantada com o que li.

Dias depois, a mesma advogada passou-me um DVD com uma entrevista do médico LUIZ MOURA.

Diante da figura humana sensível e erudita do médico, que discorria sobre o tema com muita propriedade e conhecimento, fiquei convencida do seu efeito benfazejo, não obstante o ceticismo próprio do cargo de Delegado de Polícia que exerci durante alguns anos. Os irrecusáveis exemplos que permearam a entrevista do médico deram-lhe a credibilidade necessária.

Um processo simples, cuja técnica consiste em colher sangue da veia e injetá-lo no músculo, estimulando assim o Sistema Retículo-Endotelial, aumentando a percentagem de macrófagos, os quais são responsáveis pela limpeza de todo o organismo, aumentando a autodefesa para curar muitas doenças crônicas e prevenir outras tantas.

Chega a ser mesmo uma prática inocente e sem custos financeiros, cuja matéria prima é o próprio sangue da pessoa, pensei.

Resolvi experimentar. Mal, não fará.

Não me julgo uma pessoa doente, pois o que tenho é a sequela de uma mielite transversa que, num dia qualquer da vida, sem aviso prévio, abruptamente meou-me o corpo, tornando-me paraplégica. De brinde, uma cadeira de rodas para deambular e um turbilhão de dificuldades para enfrentar. Uma limitação gritante, uma vez que me vi banida da locomoção e da sensibilidade tátil. Fiquei reduzida a apenas braços e cabeça.

Particularmente, uso sonda vesical para escoar a urina acumulada e o resto comando com a codificação mental, além do exercício da paciência, do improviso e da capacidade para me adaptar.

Assim, sendo uma pessoa adulta, consciente, mulher de um profissional de saúde (dentista), assumi o risco.

Tomei as duas primeiras aplicações da auto-hemoterapia, de 5ml, com o objetivo exclusivo de prevenção, uma vez não cogitar melhoras para a paraplegia, minha companheira inseparável há 25 anos.

Por causa de um grande cisto no ovário, constatado através de ultrassonografia, aumentei a dose para 10ml, aplicados (de uma só vez) na região glútea, de 7 em 7 dias.

Já com vistas a uma intervenção cirúrgica, fiquei estupefata ao fazer outra ultrassonografia, cinco dias depois do primeiro exame, e constatar que o cisto havia desaparecido. ("...Observa-se absorção total da imagem complexa descrita no exame anterior".)

Vítima há anos de uma trombose, que recidivara duas vezes, fiquei com a perna esquerda mais grossa do que a outra, incluindo a nádega, o que me causava um grande problema postural, forçando-me a usar um calço no assento da cadeira, lado direito, para melhorar-me o equilíbrio (medida orientada pelo fisioterapeuta que me assiste há alguns anos).

Qual não fora a surpresa ao notar que não mais precisava do calço e que a perna que sofrera a trombose estava quase igual à outra. Até mesmo para fazer os exercícios, o fisioterapeuta dispensou o calço, usado até então para a obtenção do equilíbrio.

A minha lesão é medular, com ausência de locomoção e sensibilidade a partir do nível T-4 (4ª vértebra torácica), o que significa dizer que estou (ou estava) inerte do peito para baixo.

A medula é basilar para o ser humano. É por meio dela que o cérebro envia as ordens para o funcionamento de todo o organismo. A mielite danifica os nervos e interrompe os fluxos nervosos com perda de sensibilidade. É uma lesão gravíssima. Chama-se Mielite Transversa porque acontece no sentido horizontal. São inúmeras as suas causas. É uma síndrome incapacitante, paralisa tudo o que esteja abaixo dela: pulmão, bexiga, intestino e aparelho sexual, além da locomoção. Se acontecer na porção cervical, a pessoa fica tetraplégica. Pode matar.

Leigamente falando, acho que fui vítima de uma anestesia na região lombar. Talvez tenha sido a Raquidiana ou a Peridural. No meu livro, Pássaro Sem Asas, a partir da 3ª edição, acrescentei um capítulo intitulado ‘Pode ter sido anestesia’, em que conto todos os pormenores a respeito disso.

Estou paraplégica desde os 36 anos de idade. Acredito-me guerreira e a minha bandeira é otimista, razão de todo o meu sucesso como mãe, esposa e profissional. Tenho uma família linda: quatro filhos formados e bem endereçados na vida, além de um marido sempre encantado comigo. Depois de paraplégica ascendi, por concurso, aos cargos de Delegado de Polícia e Analista Judiciário. Luta é minha palavra de comando.

Nesses 25 anos não consegui melhoras no quadro locomotor ou na sensibilidade, a não ser a de cabeça que me endereça sempre ao alto.

Mesmo assim continuo sendo perseguidora de sonhos, pois a paraplegia é apenas uma experiência natural da vida humana. Não é por isso que vou me entregar ao desalento. A vida continua!

Estou fazendo auto-hemoterapia há quatro meses. Nesse ínterim, muita coisa tem mudado. Descubro-me sempre com alguma novidade: a sensibilidade que era na altura dos mamilos (T-4), hoje se encontra pouco acima do umbigo. Sinto, na região lombar, o abraço do encosto da cadeira. Consigo contrair o abdome, o que não fazia antes, pois o diafragma não obedecia ao meu comando. Para tossir tinha que dobrar o tronco sobre os joelhos para conseguir forças para tal.

Hoje consigo mexer a 'bunda' voluntariamente, quando estou em decúbito ventral, conseguindo direcioná-la para a esquerda ou direita, cuja velocidade se soma a cada dia. O equilíbrio melhorou muito, e conseqüentemente a qualidade de vida. Se continuar assim, acredito que vou recuperar o controle natural de minhas necessidades fisiológicas.

Trabalho no Tribunal pela manhã. Todos os dias, após o café, consulto o relógio e se há ainda um tempinho, pego o jornal diário, ocasião em que só leio as manchetes e os subtítulos, tendo em vista estar sem os óculos para leitura. Descobri-me conseguindo ler os textos dos artigos! Não é bom?! A que se deve tudo isso? Não há outra resposta a não ser à auto-hemoterapia, única inovação na rotina diária.

Incrível? É! Inclusive para mim. Mas é VERDADE!

Meu fisioterapeuta a princípio muito reticente teve que aceitar os benefícios da auto-hemoterapia diante das evidências tão significativas.

Os testes comprovam os avanços, que jamais podem ser confundidos com placebos. São reais, físicos, visíveis!

Ninguém melhor para mensurar tais aquisições do que eu, o fisioterapeuta, o meu marido e a minha família.

Não espero andar, mas agradeço muitíssimo as melhoras registradas.

Significam muito para mim!

ATUALIZAÇÃO: 19.04.2007

Continuo encantada com a auto-hemoterapia!
Seis meses já se passaram desde a primeira aplicação.
Continuo fazendo regularmente.

Além dos resultados descritos acima, ainda outros vieram somar.
A pressão arterial que, embora controlada por medicamento, era, por vezes, muito alta, está estabilizada. Outras melhoras diversificadas se registram a cada dia.

A sensibilidade tátil continua em ascensão. Numa constatação tênue, já sinto vontade de evacuar e não mais estou usando fraldas. Vou para o Tribunal sem ela, o que me facilitou muito a vida, principalmente quanto à ida ao banheiro. Diminuiu o tempo e o trabalho de ter que ajustá-la. Realmente, a melhor parte.

Sinto-me disposta, bonita e feliz!

Sou muito agradecida pelo que está acontecendo comigo! E, por vezes, pergunto-me se mereço.

Afinal são 25 anos de paraplegia em que lutei com unhas dentes para conseguir alguma independência.

Para uma pessoa normal isso talvez não signifique muito, mas para mim significa MUITÍSSIMO.
Significa FELICIDADE!

ATUALIZAÇÃO: 28.09.2008

Estou fazendo auto-hemoterapia há dois anos.
Não me reconheço do passado. Estou ótima!

Não consegui andar e nem esperava por isso. Mas muitas outras melhoras se registraram, comprovadas por exames.

Minhas taxas estão excelentes! Tudo dentro da normalidade.
A trombose que tinha na perna esquerda foi, totalmente, recanalizada, conforme exame recente.

Minha estima está em alta! Nunca me senti tão bem!
Lógico, não é uma panacéia para a cura de todas as doenças, nem um milagre ou um passo de mágica, mas, particularmente, posso afirmar que me fez e me faz muito bem. Consegui muito, apesar da faixa etária e dos desgastes naturais dessa idade. Tenho certeza de que se a tivesse conhecido antes, teria vivido muito melhor.

Recebo e-mails, perguntando-me sobre o seu uso, como se eu fosse médica. Não posso responder. Cada um deve decidir por si, mesmo por que o meu conhecimento científico é na área jurídica.

Usar ou não a Auto-hemoterapia é uma questão pessoal. Somos mundos à parte. Temos disposições mentais diferentes. A reposta, acredito também ser diferenciada para cada um.

No meu leigo entendimento, creio que o meu sangue não me pode fazer mal. Não tomamos tantos remédios com terríveis efeitos colaterais?

Penso que antes de tudo a pessoa tem que pesquisar, se informar, assistir várias vezes à entrevista do Dr. Luiz Moura (registrada em DVD, amplamente divulgada na mídia) e formar convicção.

Quando percebi a melhora em mim, fiquei muito eufórica e feliz. Mexer a bunda! Meu Deus! Achei que ia explodir de tanta alegria. Pedi que filmassem, para que eu pudesse ver.

E, como sou poeta, com a sensibilidade à flor da pele, compartilhei com os colegas escritores do Planetaliteratura e do Recanto das Letras.

As leituras hoje, já passam de 48.000. Fico feliz, pois sei que o meu depoimento significa ajuda, uma vez que relatos benfazejos comprovam a eficácia da AH ao longo dos anos. Quantos comentários maravilhosos, incluindo os de alguns médicos, existem no rodapé deste artigo! Com certeza, um manancial para consultas, pois a voz do povo é a voz de Deus, penso eu. Não é possível que todos esses depoimentos sejam mentirosos.

No meu sentimento de amor, gostaria que o tema fosse estudado para melhorar a saúde de todos, principalmente daqueles mais carentes de recursos financeiros.

ATUALIZAÇÃO: 26.11.2009

Continuo fazendo a auto-hemoterapia regularmente. Faz parte da minha vida e a farei sempre.

Tenho LER, por excesso de trabalho, incluisive com o meu corpo, que o carrego com a força dos braços, nas transferências para o carro, a cadeira, e outras mais. A AH alivia-me um pouco as dores, já que a causa não pode ser evitada, pois a vida continua e é assim o meu jeito de andar ao longo desses 27 anos de paraplegia. Faço a AH como se fosse uma manutenção, uma prevenção, pois ela aumenta a auto-defesa.

Realmente, faz a diferença!

O que adquiri, como disse no texto, significa muito, muito mesmo! E eu não posso me esquecer disso.

Não consegui outras aquisições. Mas tudo que adquiri está sendo mantido, penso que se deve a continuidade das aplicações que, para mim, não representam trabalho, mas um grande prazer.

Não tenho atualizado mais frequentemente porque o texto já está bem prolixo e as pessoas não leem.


Genaura Tormin http://recantodasletras.uol.com.br/artigos/387723
Goiânia/GO - Brasil, 65 anos
(102256 leituras)

casos de cura
http://www.orientacoesmedicas.com.br/opiniao_integra.asp?cdg=1615&a...



Veja todos os vídeos do Magnífico Doutor Luís Moura, com depoimentos
http://www.youtube.com/results?search_query=Dr+Luis+Moura&searc...

Câncer de próstata, e Câncer de mama existe algum caso de cura na Auto Hemoterapia ?
Para quem não acredita que AH cura esses e outros tipos de câncer veja os relatos
Existem centenas de relatos de casos como estes. Basta procurar ...

Vários tipos de cancer foram curados, clique abaixo e veja os depoimentos

http://www.orientacoesmedicas.com.br/opiniao_integra.asp?cdg=1615&a...

CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER VER, "AS MARAVILHAS DA AUTO HEMOTERAPIA".

http://inforum.insite.com.br/39550

Helio Costa (46 ) de Porto Alegre
Porque minha irmã acabou de se curar de um câncer no pulmão irreversivel para os médicos, 9 nódulos sem chance de operar, resumindo eles conderam minha irmã a morte. 4 meses e meio fazendo auto-hemoterapia, após um tomografia computatorizada, ela não tem mais nada, esta limpa.

11/06/2007 23:13:41 - a favor Gregório Romeu Gonçalves da Silva (77) de Porto Alegre Fiz 6 cirurgias na bexiga para tirar 6 tumores malignos. 18 meses de quimioterapia. 1 enfarte. Me sinto ótimo depois que fiz e faço o tramento, conforme a explicação do dr. LUIZ MOURA. Não há no momento tratamento melhor. Que Deus o abençoe dr.
-----------------------------

Por não ter nenhum efeito colateral, e nenhuma contra-indicação, por ser praticamente de graça, e não gerar lucro nenhum para os laboratórios e seus agregados, então não pode ser divulgado. É só aqui mesmo no Brasil que faz "mal", porque nos outros países é liberado.
No México é obrigação dos médicos prescreverem e aplicarem nos pacientes que procuram os Postos de Saude de lá. O que os Mexicanos tem que os Brasileiros não tem?

Doentes consumidores de remédios dão muito mais lucro do que praticantes fiéis de auto hemoterapia.
Seringa e agulha não dão lucro nenhum para esses gananciosos, logo não financiam mais estudos sobre a AH, pois sabem já dos resultados positivos nas doenças e negativos nos bolsos deles, e isso é o fim para os laboratórios e afins



Um dos documentos destaca que “devido a infundadas alegações médicas de que não existem comprovações científicas para a AHT - malgrado evidências de sucesso do seu uso em outros países - no Brasil esta prática encontra-se proibida”, adiantando que considera “esta proibição um verdadeiro equívoco das autoridades, diante das evidências científicas que temos vivenciado em nossa prática, sendo também um risco para os usuários, devido a grande demanda reprimida para a utilização do procedimento no país”.

Os trabalhos receberam os títulos de “Auto-hemoterapia: resultados de estudos de casos clínicos realizados na UNIPAC-JF”, “Conhecendo a auto-hemoterapia e comprovando a sua eficácia”, “Estudo da eficácia da auto-hemoterapia: uma análise fisiopatológica”, “Perspectivas da enfermagem frente a implantação da SAE na auto-hemoterapia”, “Tratamento da esclerodermia através de auto-hemoterapia: um estudo de caso clínico”, e “Uso da auto-hemoterapia-ath como fator coadjuvante no tratamento da psoríase vulgar”.

SIMPLICIDADE

O trabalho “Estudo da eficácia da Autohemoterapia: Uma análise fisiopatológica” mostra que “A autohemoterapia - AHT vem sendo combatida pelas autoridades de saúde no Brasil, tornando necessário o desenvolvimento de pesquisas que demonstrem sua efetividade”, explicando que “Este estudo qualitativo e descritivo-exploratório tem por objetivo abordar os aspectos fisiopatológicos dos casos clínicos de clientes participantes da pesquisa sobre eficácia da AHT, desenvolvida na UNIPAC-JF. Os dados foram coletados de agosto/06 a junho/07 através da análise de prontuários (fontes primárias) - numa casuística de 35 pacientes classificados em grupos patológicos - e analisados com base em referencial bibliográfico específico”.

Segundo a pesquisa, “A AHT estimula o sistema fagocitário mononuclear através da ativação do sistema reticulo endotelial. A partir deste estímulo, o monócito diferenciado permanece de 1 a 6 dias na circulação de onde passa para os tecidos se denominando macrófago e combatendo processos inflamatórios, apresentando antígenos e induzindo ao reparo tecidual. (ABBAS, 2005)”. Diz que “É sabido que tal mecanismo atua no combate de processos patológicos, aumentando a vigilância imunológica, revertendo e/ou estabilizando processos crônicos-inflamatórios e crônico-degenerativos (JUNQUEIRA, 2004). Isto também é valido para as patologias auto-imunes”.

Resultados parciais da pesquisa demonstram que nos processos auto-imunes, a AHT estimulou a renovação tecidual de lesões e implementou o combate ao processo inflamatório gerado. Em processos crônicos degenerativos, os clientes relataram melhora dos sintomas, o mesmo ocorrendo para aqueles que apresentavam processos crônico-inflamatórios. Não foram constatados efeitos adversos ou colaterais a esta terapia, mesmo naqueles que fizeram uso prolongado da AHT. Concluiu-se que, por sua simplicidade, a AHT se mostrou um ótimo tratamento complementar, inócuo e de eficácia comprovada.

EFICÁCIA

“Conhecendo a auto-hemoterapia e comprovando a sua eficácia” foi outro trabalho apresentado, no qual é lembrando que “A auto hemoterapia é uma técnica bastante antiga. Em 1911 F. Ravaut descreveu seu emprego em diversas doenças infecciosas, especialmente na febre tifóide e nas dermatoses. É um recurso terapêutico de baixo custo, simples que se resume em coletar sangue do próprio paciente e aplicar em seu músculo. Este procedimento estimula o Sistema Retículo Endotelial, quadruplicando o percentual de monócitos e por conseguinte, de macrófagos em todo organismo”.

A pesquisa descritivo exploratória de enfoque quanti-qualitativo, tem como objetivo demonstrar a importância da auto hemoterapia, através da realização do procedimento e de estudos de casos clínicos em uma amostra de dez pacientes, dos quais destacaram-se 05 (cinco) casos, em vista de sua relevância. O critério de inclusão foi terem os pacientes procurado espontaneamente este tratamento, sendo em seguida incluídos em um protocolo de atendimento específico.

Informa que “Realizou-se o follow-up dos casos e coletaram-se as expectativas e resultados obtidos com o tratamento através de depoimentos dos próprios pacientes, com a intenção de divulgar a auto-hemoterapia no meio acadêmico e cientifico, demonstrando a eficácia do método e evidenciando a importância e papel do enfermeiro como profissional responsável pela aplicação deste procedimento”. Em seguida, ressaltam o desaparecimento de verrugas após a 3ª aplicação; da grande melhora das dermatoses crônicas. O relato de melhora com relação ao estado de ânimo e ao desaparecimento de dores foi unânime entre os participantes da pesquisa”.

EXCLERODERMIA

No estudo de caso clínico que recebeu o título de “Tratamento da esclerodermia através de auto-hemoterapia: um estudo de caso clínico”, com abordagem quanti-qualitativa, apresentam através de registro fotográfico e acompanhamento clínico sistematizado, o caso da cliente ADB, 48 anos, branca, do lar, diagnostico de esclerodermia, portadora de extensas feridas com predominância de tecido necrótico, envolvendo os membros inferiores dos joelhos para baixo. A esclerodermia é uma doença do tecido conjuntivo que afeta a pele, e algumas vezes os órgãos internos. É classificada como doença auto-imune devido ao fato de que o sistema imunológico nestas doenças é ativado para agredir os tecidos do próprio organismo.

A paciente em questão apresentava a forma sistêmica (esclerose sistêmica), que afeta os órgãos e sistemas internos do organismo. Na esclerose sistêmica, o sistema imunológico costuma causar dano a duas áreas principais: os vasos sangüíneos de pequeno calibre e as células produtoras de colágeno localizadas na pele e em todo o organismo. É o componente colágeno da doença o responsável pelo espessamento da pele.

Segundo o documento, “Até o momento não há cura para a esclerodermia, apenas tratamento e minimização dos sintomas e complicações decorrentes. Submetida à auto hemoterapia durante 3 meses e limpeza das feridas com solução isotônica de cloreto de magnésio a 10%, a cliente apresentou melhora acentuada do quadro clínico, com granulação de 70% da área afetada, resultados estes comprovados através de registro fotográfico e documentação específica”.

Acrescenta que “A autohemoterapia visa a autoestimulação do sistema imunológico através da retirada de determinado volume de sangue venoso do paciente e aplicação deste mesmo volume por via IM, dividindo-se o volume em 2 ou mais partes, técnica simples que estimula o aumento dos macrófagos pela medula óssea, indicada especialmente em doenças auto imunes. A taxa normal de macrófagos no sangue sobe de 5 para 22%, complementando a ação da antibioticoterapia que paralisa a reprodução de microorganismos, enquanto o sistema imunológico ativado, vence a infecção.

PSORÍASE

Quanto ao trabalho “Uso da auto-hemoterapia-AHT como fator coadjuvante no tratamento da psoriase vulgar”, constitui-se de um estudo descritivo com abordagem quanti qualitativa realizado através de registros de prontuário (fontes primária) e registros fotográficos de lesões, relatando o caso clinico da cliente MGSS, 59 anos, negra, do lar, com diagnóstico de psoriase vulgar ativa há 30 anos, referindo não ter neste período apresentado melhoras significativas do quadro, embora tenha experimentado inúmeros tratamentos.
A cliente iniciou a terapia com múltiplas lesões características da doença, disseminadas por todo o corpo, com predominância nas nádegas e nos membros inferiores e superiores, acompanhada de sintomatologia intensa, como prurido, irritação e estado emocional instável. A psoríase vulgar é uma dermatose crônica, inflamatória, não contagiosa, multigênica, caracterizada por placas e pápulas descamativas, bem delimitadas de tamanhos variados. É classificada como doença auto-imune, onde as lesões iniciais estão associadas a infiltrados dérmicos perivasculares de linfócitos e fagócitos mononucleares, onde os neutrófilos podem aparecer no interior da epiderme criando microabcessos.

Submetida à auto-hemoterapia, MGSS foi tratada com 20 aplicações de 10 ml de sangue, apresentou melhora significativa do quadro sintomático, com redução do prurido que era intenso, remissão total de algumas lesões e parcial de outras, conforme pode ser verificado através de registros fotográficos. Paralelamente observou-se redução da pressão arterial da paciente como resultado inesperado da AHT. Este estudo de caso pretende demonstrar a efetividade da AHT em lesões da pele, contribuir para validar a AHT como tratamento complementar, considerando a necessidade atual de pesquisas que comprovem a efetividade deste processo.

PROTOCOLO

O trabalho “Autohemoterapia: resultados de estudos de casos clínicos realizados na UNIPAC-JF”, por sua vez, trata de uma pesquisa descritivo-exploratória com abordagem quanti-qualitativa do tipo estudo de caso, que através da análise de fontes primárias (prontuários) e secundárias (depoimentos dos pacientes), acompanha e relata o processo de pacientes submetidos ao tratamento pela auto hemoterapia. Teve acompanhamento através de anamnese, exames complementares, imagens fotográficas e relatos audio-visuais.

O tratamento seguiu um protocolo de enfermagem para aplicação de auto-hemoterapia, dentro das normas de biossegurança, tendo supervisão médica e de enfermagem direta. A pesquisa foi realizada de acordo com a Resolução CNS 196/96 e não houve ônus para os participantes.

Resultados parciais da pesquisa, agosto/06 a maio/07 - Prescrição médica: 12 seções de auto-hemoterapia com aplicações semanais de 10 ml - Casuística: 35 pacientes de 18 a 77 anos tendo sido analisadas as dores e as doenças autoimunes. 22 pacientes (63%) referiram redução da intensidade dos sintomas, 11 pacientes = (31,3%), referiram remissão total dos sintomas - 02 pacientes (5,7%), não apresentaram alteração dos sintomas.

Não foi registrado e não houve queixas quanto a efeitos colaterais ao tratamento e efeitos adversos das aplicações por nenhum dos pacientes, ou seja 0%. Com este estudo,consideramos que a autohemoterapia, por sua simplicidade constituiu um ótimo tratamento complementar, demonstrando sua inocuidade e comprovando sua eficácia.

PERSPECTIVAS

A auto-hemoterapia foi utilizada também no trabalho “Perspectivas da enfermagem frente a implantação da sae na auto-hemoterapia”, onde está escrito que “Um crescente uso de terapias naturais e complementares no Brasil tem sido observado na última década, referendado pelo Ministério da Saúde, que no sentido de assegurar aos usuários do SUS o direito de realizarem as terapias com segurança, propôs a implementação de política de adoção de terapias não convencionais na rede básica de saúde”. Explica que “De acordo com a resolução 197/97 do COFEN, essas terapias são especialidade do profissional de enfermagem quando qualificado”.

Há um ano, a Faculdade de Enfermagem da UNIPAC-JF realizava pesquisas sobre auto-hemoterapia AHT, para referendar a técnica, que nessa experiência tem comprovado sua eficácia e inocuidade, desde que efetuada por profissional de enfermagem qualificado. Defendem que “Na AHT, o enfermeiro realiza punção venosa periférica e injeção intramuscular, procedimentos que inequivocamente, são ATOS DE ENFERMAGEM e não de outros profissionais, devendo ser regidos pelos órgãos de enfermagem competentes”, asseverando que “Entretanto, devido a infundadas alegações médicas de que não existem comprovações científicas para a AHT - malgrado evidências de sucesso do seu uso em outros países - no Brasil esta prática encontra-se proibida”.


Participe do forum sobre auto-hemoterapia, no link http://inforum.insite.com.br/39550//a>;

Comentar

Você precisa ser um membro de AMIGOS DA CURA para adicionar comentários!

Entrar em AMIGOS DA CURA

Comentário de Maurecir Mafra em 3 janeiro 2011 às 19:12
Outro relato do site da Dra Genaura

26/12/2010 20:34 - isabel cristingoms
ola estou fazendo ah a quatro meses moro em milao fui no brasil cheia de doencas presao alta um ninfanodolo no figado teria de fazer um tratamento forte com metadona e ribavirina tinha sindrome do panico tenho hepatite c tomava remedio faixa preta a 25 anos para dormir nervosa nao conseguia parar de fumar escrava a 21 anos quando cheguei no brasil e a vizinha da minha mae me falou eu fiz na hora nao tinha mais nada perder e foi maravilhosa agora primeiro de voltar a italia refiz os exame sumiu o ninfanodolo parei de fumar nao fiquei ansiosa dormo como crianca nao tomo mais remedio nao tenho ataque de panico a presao ta otima tenho so vontade viver alegre a depresao foi enbora obrigado primeiramente ao senhor e ao dr que divulgou este tratamento obrigado auto hemoterapia eu to apaIXONADA E FALO PARA TODAS AS PESSOA QUE ESTAO DOENTE VOU FAZER A VIDA INTEIRA NAO LARGO MAIS E MARAVILHOSA ERA MUITOS ANOS QUE NAO ME SINTIA ASSIM SENHORA GENAURA ES UM EXEMPLO DE VIDA PECO A DEUS QUE TE QUARDA E A SENHORA VAI AVER MUITAS VITORIA PARA DEUS NADA E IMPOSSIVEL CRE E VERAS BEIJINHO A TODOS
Comentário de laura viviane moura silva aragao em 8 dezembro 2010 às 7:22
Meus queridos acho que é muito importante a luta pela cura. A busca por qualquer coisa que melhore nossa condição de vida sempre é valida e nos da forças para viver mais intensamente a cada dia. Mas acredito que no fundo o mais importante, e jamais deve ser esquecido é que a nossa vida é muito valiosa e devemos vive-la um dia de cada vez como se fosse o ultimo, afinal de contas não somos donos do dia de amanhã. Deus nos fez únicos neste mundo que a cada dia vai de mal a pior. Mas podemos fazer nosso mundo em nossa vida ser um mundo maravilhoso. Um grande abraço ha todos os amigos seguidores do Amigos da Cura, estarei orando por cada um de vocês pode ter certeza
Comentário de Roberto Nobrega Garcia em 18 setembro 2010 às 13:31
Já conheci este tratamento a uns dois anos atrás, onde trabalho recebemos um DVD com toda a história da hemoterapia, muitos amigos meus começaram a fazer o tratamento, uma coisa eu posso garantir, mal não faz e até observei alguns resultados positívos com relação a problemas de pele e cicatrizações, eu não fiz pois não sou muito chegado a agulhas e sangue, mas sempre tive vontade de começar este tratamento, sem contra indicações pelo que observei.
Antes da pinicilina só existia este tratamento, e sua história realmente é muito interesante, as indústrias farmaceúticas é que impedem o conhecimento do tratamento por ser ele eficas e muito barato, não gerando lucro para eles.
Espero terem sido um úteis os meus comentários para o esclarecimento do uso da hemoterapia.
Comentário de grazielli slobodzian em 30 agosto 2010 às 23:00
eu pratico auto-hemoterapia a 2 anos e não me arrependo.. mas agora aqui em goiânia gostaria de saber onde posso encontrar? minha avó foi curada de um câncer malígno infiltrante no seio direito por causa da auto-hemoterapia.. ela retirou o tumor e não teve problema nenhum com as radioterapias nem com as quimioterapias as quais ela se submeteu.... no meu caso foi ótimo para a minha sinusite crônica, pros problemas de alergias, cólicas mentruais...e vários benefícios que encontrei nessa medicina alternativa.
Comentário de MARIA HELENA C.C.CAMPOS em 27 outubro 2009 às 14:46
meu marido esta fazendo autohemoterapia,e, tem sentido que o nodulo esta diminuindo, porem tambem tem feito o tratamento do frei,babosa,mel .Vamos aguardar mais um mes, ai darei retorno melhor.

Visitantes online

Colaboradores

.

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

© 2017   Criado por Maurecir Mafra.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço